A nossa Carta Magna

A nossa Carta Magna

1.2.3-A nossa Carta Magna

Nossa Carta Magna

Nossa Carta Humanitária tem a baze dos princípios e valores estabelecidos na carta Magna dos Paramédicos de catástrofe Internacional -PCI nomeadamente:

 -Neutralidade

– Imparcialidade

-Discriminação

-Compromisso Pessoal

-Ética Medica

Estes valores se vivem e se poem em prática todos os dias em ações e decisões que tomamos, por isso todas as pessoas com quem trabalhamos nesta organização Paramédicos de catástrofe Internacional-PCI, devemos adotar de valores com os próprios, qualquer pessoa que esta nos PCI deve aceitar e firmar a carta Magna entre as partes Integrais do contrato.

Carta Magna de  Paramédicos de catástrofe Internacional -PCI

Paramédicos de catástrofe Internacional -PCI e uma organização privada com colocação de ajuda medica e social a nível internacional. A associação PCI reúne vários profissionais de saúde nomeadamente Médicos, Enfermeiros Paramédicos, Parteiras, Técnicos de emergência medica, Fisioterapeutas, Cardiopneumologistas , Técnicos de diagnostico e terapêutica, entre outros técnicos de saúde que demostrem disponibilidade e experiencia em colaborar com a instituição desinteressadamente tanto a nível nacional como Internacional .

PCI tem ainda voluntários noutras áreas do saber para o cumprimento da sua missão humanitária e social em toda a parte do mundo. Os referidos voluntários se comprometem em honrar a carta de princípios da instituição e o código de conduta da mesma.

Paramédicos de catástrofe Internacional -PCI levam a cabo socorro a população desamparada e desprotegida, vítimas de catástrofes de origem natural, humana e em situações de conflito armado sem nenhuma discriminação por raça, religião, filosofia ou politica.

A instituição medica internacional humanitária PCI atua com neutralidade e imparcialidade, reivindicando o nome da ética medica universal e de direito a assistência medica humanitária e a sua plena liberdade de exercício das suas atividades e funções.

Os voluntários e colaboradores comprometem-se a respeitar os princípios deontológicos e profissionais, mantendo a total independência de todos os poderes assim como de todas as forças políticas, económicas e religiosas.