Emergência – Surtos de Cólera e Sarampo na Somália 2011

Uma epidemia de cólera castiga a Somália. O país, já afectado pela fome, agora tem números alarmantes de pessoas infectadas entre os milhares que se deslocaram para a capital, Mogadíscio, em busca de água e comida.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a infecção intestinal, normalmente relacionada à contaminação da água de beber, provoca diarreia aguda e vómitos, deixando as crianças pequenas especialmente vulneráveis à morte e desidratação. O número de casos é de até três vezes maior do que no ano passado. Portanto, podemos dizer que temos em andamento uma epidemia de cólera e sarampo.

A organização humanitária internacional Paramédicos de Catástrofe Internacional – PCI tem vindo a lutar contra surtos de cólera e sarampo na cidade de Marere e nos arredores, no sul da Somália. Marere e nas aldeias vizinhas como Jilib, Keytoy e Osman Moto que abrigam actualmente cerca de 5 mil somalis deslocados, que fugiram de conflitos e da seca noutras regiões do país, que fica na região conhecida como Chifre da África.

No entanto apenas no hospital Banadir, em Mogadíscio, foram registados entre Janeiro e os últimos dias 4.272 casos de diarreia aguda, principalmente em crianças com menos de 5 anos de idade.

Centenas de milhares de somalis já foram desabrigadas pelo conflito, tanto dentro do país quanto em acampamentos de refugiados nos países vizinhos, após fugirem da crise humanitária que teve início este ano. Guerra civil, violência, falta de desenvolvimento, ajuda humanitária insuficiente e a seca actual deixaram as pessoas fracas, e a desnutrição e as infecções oportunistas estão se a proliferar. Cólera e sarampo são doenças tipicamente oportunistas, e ocorrem geralmente em locais onde pessoas fracas e desnutridas se reúnem, aproveitando-se do sistema imunológico debilitado, da escassez de água potável e das condições de saneamento insuficientes.

Fonte: OMS