Código de Ética & Princípios Fundamentais

Código de Ética & Princípios Fundamentais

277177710_1917280711810287_6854956921369402882_n

Princípios Fundamentais dos PCI

Todos os profissionais que atuam com Paramédicos de catástrofe Internacional, sejam médicos, paramédicos, enfermeiros, especialistas em saúde ou de outras áreas, devem sempre honrar os seguintes princípios, descritos na carta de princípios da organização:
Independência
Paramédicos de catástrofe Internacional,  é independente: não está atrelada a poderes políticos, militares, económicos ou religiosos e tem liberdade de ação, decidindo onde, como e quando atuar com base em sua própria avaliação do contexto e das necessidades. Essa independência de ação é garantida por sua independência financeira, já que, de todo o financiamento de PCI, 96% é proveniente de doações de indivíduos e da iniciativa privada.

Imparcialidade
Paramédicos de catástrofe Internacional, oferece ajuda humanitária e cuidados de saúde àqueles que mais precisam, sem discriminação de raça, religião, nacionalidade ou convicção política. A organização define o público que será priorizado com base, exclusivamente, na avaliação das necessidades de saúde identificadas. A possibilidade de aliviar o sofrimento de indivíduos por meio da ação médica é o que determina a norteia as atividades de Paramédicos de catástrofe Internacional.

Neutralidade
Em situações de conflito, Paramédicos de catástrofe Internacional, não toma partido. A neutralidade é crucial para as equipes conseguirem chegar a qualquer pessoa afetada, independentemente do lado do conflito em que esteja. A neutralidade de Paramédicos de catástrofe Internacional, é possibilitada pela sua total independência financeira de governos ou partes envolvidas em conflitos.

Transparência
Paramédicos de catástrofe Internacional, avalia constantemente os projetos que implementa e presta contas à sociedade e aos doadores sobre a gestão dos recursos captados e resultados de suas ações. A origem e utilização dos recursos são apresentadas de forma clara e acessível. Para reforçar esse compromisso, os relatórios financeiros são auditados por empresas independentes e redigidos em conformidade com os padrões da International Financial Reporting Standards (IFRS). São também publicados relatórios anuais, que trazem o resumo das atividades desenvolvidas em campo e análise crítica dos progressos, obstáculos e aprendizados.  Paramédicos de catástrofe Internacional, também preza pela transparência na relação com seus pacientes e, coerente com essa transparência, informa-os sobre as escolhas que faz e sobre as decisões que toma no que se refere à sua atuação médica.

Ética médica
As ações de Paramédicos de catástrofe Internacional, são acima de tudo médicas. O trabalho da organização é norteado pelas regras da ética médica universal. Em primeiro lugar, vem o dever de prestar assistência a quem precisa, sem prejudicar indivíduos ou grupos. A ética médica fala de respeito à autonomia e à confiança dos pacientes, e também de seu direito a acessar todas as informações necessárias para que possam consentir procedimentos e tomar decisões com respaldo. Cada indivíduo é tratado com dignidade e respeito e recebe cuidados médicos de qualidade.

Humanidade

Paramédicos de Catástrofe Internacional – PCI nasce da preocupação de prestar auxílio a todos os feridos, a Nível Nacional e Internacional; de prevenir e aliviar o sofrimento humano, em todas as circunstâncias; de proteger a vida e a saúde; de promover o respeito pela ser humano; de favorecer a compreensão, a cooperação e a paz duradoura entre os povos.

A independência de Paramédicos de Catástrofe internacional, não está atrelada a poderes políticos, militares, económicos ou religiosos e tem liberdade de ação, decidindo onde, como e quando atuar com base na sua própria avaliação do contexto e das necessidades. Essa independência de ação é garantida pela sua independência financeira, já que, de todo o financiamento de Paramédicos de Catástrofe I0nternacional cerca de 90% é proveniente de doações de indivíduos e da iniciativa privada.

A imparcialidade de Paramédicos de Catástrofe Internacional – PCI, oferece ajuda humanitária e cuidados de saúde àqueles que mais precisam, sem discriminação de raça, religião, nacionalidade ou convicção política. A organização define o público que será priorizado com base, exclusivamente, na avaliação das necessidades de saúde identificadas. A possibilidade de aliviar o sofrimento de indivíduos por meio da ação médica é o que determina as atividades de Paramédicos de Catástrofe Internacional – PCI.

Unidade

Paramédicos de Catástrofe Internacional – PCI é uma só que está aberta a todos e estende a sua Ação Humanitária em toda a parte do Mundo onde existir necessidade de apoio da instituição.

Neutralidade em situações de conflito, Paramédicos de Catástrofe Internacional, não toma partido. A neutralidade é crucial para as equipas conseguirem chegar a qualquer pessoa afetada, independentemente do lado do conflito em que esteja. A neutralidade de Paramédicos de Catástrofe Internacional, é possibilitada pela sua total independência financeira de governos ou partes envolvidas em conflitos.

Universalidade

Paramédicos de Catástrofe Internacional é uma instituição universal humanitária que leva ajuda medica e medicamentosa, apoio ao desenvolvimento e apoio social em toda aparte do mundo.

Voluntariado

Paramédicos de Catástrofe Internacional é uma instituição de social e humanitária de voluntariado e desinteressada.

Não importa onde eles trabalhem no mundo, os   funcionários e voluntários da Paramédicos de catástrofe Internacional, são guiados por valores comuns e seguem princípios firmes. Eles são irrefutáveis e orientam nosso compromisso global com pessoas que não têm acesso a cuidados médicos.

Os dez princípios de Paramédicos de Catástrofe Internacional 

1-O trabalho médico em primeiro plano

O trabalho da Paramédicos de catástrofe Internacional é principalmente de natureza médica, paramédica e inclui assistência às pessoas necessitadas. Em muitos países, o sistema de saúde não é funcional, seja por causa da guerra, desastres naturais ou feitos pelo homem – ou simplesmente pela falta de recursos financeiros ou logísticos.

Um dos principais objetivos da Paramédicos de catástrofe Internacional é, portanto, garantir que todas as pessoas tenham acesso à atenção básica à saúde. No entanto, as atividades médicas incluem mais do que cuidados básicos.

Em uma crise aguda, além do trabalho médico, outras medidas de auxílio às vezes são necessárias em áreas como abastecimento de água, distribuição de alimentos, construção de abrigos de emergência ou instalações sanitárias.

O campo de atuação médica inclui principalmente a atenção primária à saúde, mas também a cirurgia e o tratamento de determinadas doenças que têm sério impacto na saúde pública. Isso inclui, por exemplo, a tuberculose, em particular suas formas multidroga resistentes, mas também a implementação de campanhas de vacinação em larga escala contra sarampo, cólera ou difteria.

Graças a recursos técnicos significativos, ampla experiência e presença constante no terreno, a Paramédicos de catástrofe Internacional agora também desempenha um papel importante na pesquisa e desenvolvimento de medicamentos e vacinas para doenças negligenciadas.

Com o objetivo de garantir um trabalho médico de qualidade mesmo após superar situações de crise, a Paramédicos de catástrofe Internacional também se especializou em áreas como reabilitação e desenvolvimento de unidades de saúde, educação médica e promoção da saúde.

2-Reportando como parte necessária do trabalho

Desde o início da organização, a Paramédicos de catástrofe Internacional sempre combinou liberdade de ação e liberdade de expressão. O termo “témoignage” desempenha um papel central aqui. A palavra francesa literalmente significa “testemunhar”. Isso significa que reportamos publicamente ou privadamente sobre a situação das pessoas que tratamos.

Isso é possível, sobretudo, pelo trabalho de nossos colaboradores nos países de implantação para pessoas necessitadas. O Paramédicos de catástrofe Internacional vê como um dever chamar a atenção do público para as crises e informar sobre as condições de vida de nossos pacientes.

A organização quer melhorar as condições de vida das pessoas em todo o mundo e é um porta-voz para aqueles que não são ouvidos. Se nossas equipes perceberem graves violações dos direitos humanos, a organização pode divulgar publicamente e criticar essas violações de acordos internacionais.

Estes incluem o reassentamento forçado de grupos populacionais, a expulsão de refugiados, genocídio, crimes contra a humanidade ou crimes de guerra.

Em casos excecionais, os funcionários da Paramédicos de catástrofe Internacional podem decidir, no interesse dos pacientes, não informar o público – ou denunciar sem ajudar no terreno. Por exemplo, quando a ajuda humanitária é abusada e usada contra os necessitados.

3-Respeito à ética médica

A missão da Paramédicos de catástrofe Internacional é realizada com respeito à ética médica. Isso inclui, em particular, o dever de não prejudicar ninguém (nem um indivíduo nem um grupo) através do tratamento e ajudar humanamente, imparcialmente e respeitando o sigilo médico de cada pessoa necessitada.

O dever profissional e o uso médico também são protegidos pelo direito internacional humanitário, que estipula que ninguém pode ser punido por exercer uma atividade médica em conformidade com as regras da profissão, independentemente de qual benefício e em que circunstâncias a assistência foi prestada.

Também afirma que as pessoas que realizam trabalho médico não devem ser forçadas a agir contra seu dever profissional.

4-Defesa dos direitos humanos

A Paramédicos de catástrofe Internacional defende os princípios dos direitos humanos e do direito humanitário internacional. Entre outras coisas, estas incluem:

– O dever de respeitar as liberdades fundamentais de cada indivíduo, incluindo o direito à integridade física e mental, bem como a liberdade de pensamento e o direito de agir livremente, conforme estabelecido na Declaração Universal dos Direitos Humanos de 1948;

– O direito dos necessitados de auxílio e o direito das organizações humanitárias de poder prestar assistência nas seguintes condições: identificação independente das necessidades, livre acesso às pessoas em causa, controle sobre a distribuição da ajuda, respeito à imunidade humanitária

1-Preservação da independência

A independência da Paramédicos de catástrofe Internacional é baseada na independência intelectual. É uma pré-condição para a liberdade de análise e ação, ou seja, para a seleção independente das missões, sua duração e os meios para realizá-las.

Essa independência é evidente no nível da organização como um todo e entre os colaboradores individuais.

A Paramédicos de catástrofe Internacional segue uma política de estrita independência de qualquer instituição ou poder, seja ela política, religiosa, econômica ou não, e se recusa a ser usada por um governo como instrumento de política externa.

Uma vez que essa independência também deve se aplicar às finanças, a Paramédicos de catástrofe Internacional se esforça para levantar o máximo de fundos privados possível e para conseguir uma ampla dispersão de doadores institucionais. A Paramédicos de catástrofe Internacional reserva-se o direito de recusar fundos que possam comprometer a independência da organização.

Por sua vez, os funcionários da Paramédicos de catástrofe Internacional são chamados a exercer contenção e devem contribuir para manter a independência da PCI através de sua atitude pessoal.

6-Imparcialidade, um princípio fundador

A imparcialidade é a base do trabalho da Paramédicos de catástrofe Internacional e está indissociável ligada à liberdade de ação. Igualdade e proporcionalidade são os princípios norteadores da imparcialidade:
igualdade em termos de orientação política, origem, religião, gênero, etc.
Assistência adequada que atenda à urgência das necessidades. As pessoas que mais precisam e precisam diretamente são prioridade para a PCI.

7-Neutralidade

A Paramédicos de catástrofe Internacional não toma partido em conflitos armados e está comprometida com o princípio da neutralidade.

No entanto, há casos extremos, especialmente graves violações dos direitos humanos, onde nossa ajuda é inútil e ir a público é o último recurso para ajudar as populações afetadas. Em tais circunstâncias, a PCI se abstém de aderir à interpretação estrita da neutralidade e aos relatórios sobre os acontecimentos, a fim de mobilizar a opinião pública e, assim, pôr fim a essas queixas – e, assim, melhorar a situação das pessoas afetadas.

8-Responsabilidade e transparência

A Paramédicos de catástrofe Internacional está comprometida em mobilizar todos os meios e recursos disponíveis para as pessoas necessitadas.

A Paramédicos de catástrofe Internacional se esforça para maximizar a qualidade e a eficiência. A organização garante, portanto, que os recursos e capacidades disponibilizados sejam utilizados da melhor maneira possível e que o auxílio permaneça sempre sob seu controle direto. A distribuição dos auxílios é diretamente revisada e seu impacto é regularmente analisado.

A PCI informa abertamente e claramente os grupos populacionais apoiados e os doadores sobre o trabalho.

9-Voluntariedade

Paramédicos de catástrofe Internacional -PCI é uma organização voluntária. Acima de tudo, este aspeto requer:

– Um compromisso individual com as pessoas necessitadas. Todo empregado deve assumir a responsabilidade;

– Altruísmo, que ressalta o caráter sem fins lucrativos do comprometimento dos colaboradores.

A voluntariedade é um fator decisivo no combate a falsos compromissos, rotina e institucionalização.

10-Caráter de associação

O comprometimento dos funcionários com a Paramédicos de catástrofe Internacional vai além do comprometimento individual; inclui também a participação ativa na vida de associação da organização e o respeito à carta e aos princípios da PCI.

A PCI também está comprometida em integrar constantemente novos funcionários à organização para garantir um grau de espontaneidade, inovação e avaliação crítica contínua de seu trabalho.

 

Código de Ética dos PCI – PDF

Informação de propriedade intelectual

Entende-se por “conteúdo do site“ da Paramédicos de catástrofe Internacional -PCI , toda a informação presente neste portal, nomeadamente texto, imagens, ilustrações, design gráfico, webdesign e software, contactos, entre outros.

Os direitos de propriedade intelectual sobre todos os conteúdos do Jornal On-line que não sejam de fornecimento externo e como tal devidamente identificados, são da titularidade da Paramédicos de Catástrofe Internacional -PCI ,encontrando-se, como tal, protegidos nos termos gerais de direito e pela legislação nacional e internacional existente relativa à proteção da propriedade industrial, dos direitos de autor e direitos conexos, bem como pela lei da criminalidade informática.

Este website contém ainda textos, ilustrações e fotografias que não podem ser copiados, alterados ou distribuídos sem a autorização expressa dos seus autores.

É expressamente proibida a cópia, alteração, reprodução, exibição, difusão, distribuição, armazenamento, transmissão, impressão, ou utilização dos conteúdos deste website, por qualquer forma ou para qualquer propósito, sem a prévia autorização expressa da Paramédicos de Catástrofe Internacional -PCI  ou dos seus autores relativamente ao conteúdo que se encontra licenciado e devidamente identificado. Os Paramédicos de catástrofe Internacional -PCI  e/ou seus diretores e funcionários rejeitam qualquer responsabilidade pela usurpação e uso indevido de qualquer conteúdo do presente website.

A Paramédicos de catástrofe Internacional -PCI reserva-se o direito de atuar judicialmente contra os autores de qualquer cópia, reprodução, difusão, exploração comercial não autorizadas ou qualquer outro uso indevido do conteúdo deste website, rejeitando qualquer responsabilidade por qualquer uso indevido do mesmo, por terceiros.