Profissionais do Sexo

Profissionais do Sexo

277305400_1923580664513625_9055513644982598984_n

Conhecida como a profissão mais antiga do mundo, a prostituição apresenta-se como uma atividade provocadora e desconcertante para a sociedade. Ao falar sobre prostituição, ao que parece, possuímos categorias explicativas prontas que dão conta do fenômeno, o que apenas o simplifica ou, o que é pior, o aprisiona em amarras sociais, políticas e morais que impedem uma compreensão correta dessa atividade. É curioso observar que, mesmo sendo identificada como “a mais antiga das profissões”, é negado o estatuto profissional à atividade da prostituição. O que o aproxima do conceito de profissão é a sua qualificação como meio de sobrevivência de pessoas, supostamente despossuídas de condições de inclusão no mercado de trabalho. Essa será, inclusive, uma das representações sociais mais recorrentes sobre a prostituição, ou seja, a carência socioeconómica justificando a sujeição a uma atividade “ultrajante e humilhante”.

 

O uso e o tráfico de drogas, a violência física, os assaltos e atrocidades variadas passam a compor organicamente a representação social d@s profissionais do sexo, sobrepondo-se, muitas vezes, à realidade. Passa a valer a imagem preconcebida, dissociada de qualquer prova factual que possa contradizê-la. A partir de um processo continuado de generalização, prescindindo sistematicamente das singularidades apresentadas pelos sujeitos que insistimos em tornar invisíveis, observamos a gênese do preconceito, elemento norteador das ações e relações que estabelecemos com este segmento social.

Paramédicos de Catástrofe Internacional trabalhar no campo da prostituição, e faz isso através da sua Unidade Móvel de Saúde medicalizada, que presta atendimento médico e social.

Informação de propriedade intelectual

Entende-se por “conteúdo do site“ da Paramédicos de catástrofe Internacional -PCI , toda a informação presente neste portal, nomeadamente texto, imagens, ilustrações, design gráfico, webdesign e software, contactos, entre outros.

Os direitos de propriedade intelectual sobre todos os conteúdos do Jornal On-line que não sejam de fornecimento externo e como tal devidamente identificados, são da titularidade da Paramédicos de Catástrofe Internacional -PCI ,encontrando-se, como tal, protegidos nos termos gerais de direito e pela legislação nacional e internacional existente relativa à proteção da propriedade industrial, dos direitos de autor e direitos conexos, bem como pela lei da criminalidade informática.

Este website contém ainda textos, ilustrações e fotografias que não podem ser copiados, alterados ou distribuídos sem a autorização expressa dos seus autores.

É expressamente proibida a cópia, alteração, reprodução, exibição, difusão, distribuição, armazenamento, transmissão, impressão, ou utilização dos conteúdos deste website, por qualquer forma ou para qualquer propósito, sem a prévia autorização expressa da Paramédicos de Catástrofe Internacional -PCI  ou dos seus autores relativamente ao conteúdo que se encontra licenciado e devidamente identificado. Os Paramédicos de catástrofe Internacional -PCI  e/ou seus diretores e funcionários rejeitam qualquer responsabilidade pela usurpação e uso indevido de qualquer conteúdo do presente website.

A Paramédicos de catástrofe Internacional -PCI reserva-se o direito de atuar judicialmente contra os autores de qualquer cópia, reprodução, difusão, exploração comercial não autorizadas ou qualquer outro uso indevido do conteúdo deste website, rejeitando qualquer responsabilidade por qualquer uso indevido do mesmo, por terceiros.