Prestação de cuidados primários de saúde à população do Sri Lanka às vítimas do tsunami

Contexto

Na sequência do tsunami de 26 de Dezembro de 2004, que provocou mais de 30 mil mortos e meio milhão de deslocados no Sri Lanka, PCI  iniciou, em 29 de Dezembro desse ano, uma missão de emergência, com o objectivo de reduzir o impacto da tragédia junto da população. No decorrer de 2005, esta missão foi transformada num projecto de reforço da rede local de cuidados primários de saúde. Após a fase de
emergência, e face às necessidades de saúde detectadas no país, PCI  permaneceu no Sri Lanka ao longo de todo o ano de 2005, com dois projectos, no distrito de Jaffna (a Norte do país) e na Província de Batticaloa, na parte Este do País.  Os projectos de PCI no Sri Lanka têm procurado deixar no país um legado que permita aumentar, de uma forma sustentável, o acesso à saúde daqueles que já não o tinham mesmo antes de o maremoto invadir a terra.

Por ser um país marcado por um historial recente de guerra – o último acordo de paz foi assinado em 2003, apesar da instabilidade entre grupos de várias pertenças religiosas se ter mantido – o Sri Lanka é um país onde as marcas da desigualdade no acesso à saúde marcam fortemente a sociedade. Os efeitos da guerra são ainda hoje visíveis na assimetria de condições de vida entre o Norte e o Sul do país. Tanto em Batticaloa como em Jaffna, distritos onde se fez sentir a intervenção de PCI , os grupos mais desfavorecidos – por serem Tamil ou de religiões minoritárias – carecem de fácil acesso a consultas, medicamentos ou apoio social.

Em termos da saúde, o país apresenta uma situação precária, com a despesa pública em saúde a representar apenas 1,8% do PIB, quase um quarto do que acontece em Portugal. Existem apenas 43 médicos por cada 100 mil pessoas, contra 318 no nosso país. A malária, doença endémica no Sri Lanka, continua a atingir um número significativo de pessoas, (registaram-se 1110 casos por cada 100,000 pessoas em 2000).

Com o objectivo de aumentar progressivamente o acesso de todos à saúde, a intervenção de PCI  focou-se prioritariamente nos cuidados de assistência médica e de enfermagem básicos, orientados para uma rede primária e secundária de saúde. Outras actividades desenvolvidas foram a formação em primeiros-socorros e apoio psicossocial, no distrito de Batticaloa, e consultas diárias nos campos de deslocados e formação e consultas hospitalares no distrito de Jaffna.

Objectivo Geral

Apoio médico e psicossocial à população do Sri Lanka afectada pelo tsunami.

População Alvo

1.População total de Batticaloa.

2.População total do Distrito de Point Pedro: 110 mil habitantes que beneficiaram das actividades de assistência clínica (nos campos de deslocados e no Hospital de Point Pedro) e das obras de manutenção e reabilitação do hospital.

Recursos Humanos
2 Enfermeiro

1 Logístico/administrador,

2 Psicólogas;

3 Paramédicos

2 Médicos