Moçambique

mocambique projectos internacional

 

População 21,9 milhões de habitantes.
A expectativa de vida ao nascer 47,8 anos.
PIB per capita (PPP) 802 $ EUA.
Taxa de mortalidade infantil por mil nascidos vivos 100.
Taxa de mortalidade materna por 100.000 nascidos vivos 520.
População que utiliza uma fonte de água melhorada de 43%.
Prevalência do HIV/Sida  em adultos (15-49 anos) 12,5%.
Proporção de médicos por cada 109 000 habitantes. 3.
Despesas de saúde pública de 2,7% do PIB e 12,6% da despesa total do governo.
Posição como o Índice de Desenvolvimento Humano 172 (de 182 países).
Actualmente, a organização desenvolve projectos em duas províncias (Maputo, Tete, Lifidez), a estratégia é promover o direito à saúde das comunidades rurais, com especial destaque para os grupos mais vulneráveis, apoiando horizontal para toda a rede de cuidados primários, fortalecendo os serviços distritais de saúde, aumento cobertura, melhor prestação de serviços, reforçando a liderança da sociedade civil e análise participativa das políticas públicas de saúde.
Nas duas províncias desenvolver cinco projectos. No primeiro acordo funciona na prevenção da transmissão do HIV/SIDA cujos principais componentes são:
• A formação especializada de pessoal de saúde e locais.
• Melhoria da infra-estrutura física e de equipamentos médicos para o diagnóstico e tratamento do HIV/SIDA .
• Certifique-se um sistema de vigilância confiável.
• Assegurar a qualidade e fornecimento de medicamentos e consumíveis.
• Apoiar o planeamento de serviços preventivos e terapêuticos por estruturas de saúde e de contrapartidas locais.
E também a trabalhar no fortalecimento do sistema público de saúde (também desenvolvido),

Cujos principais componentes são:
• A formação contínua do pessoal de saúde local em doenças prevalecentes.
• Melhoria da infra-estrutura física e equipamentos médicos.
• Assegurar a qualidade e fornecimento de medicamentos e consumíveis.
• Reforço da comunidade componente.
Trabalhando para melhorar a saúde das populações, especialmente dos mais pobres e mais vulneráveis, através do respeito ao direito à saúde, e promover políticas sustentáveis ​​de desenvolvimento humano, da comunidade e associativo.
Para conseguir isto, pretende-se:
• Melhorar o acesso aos serviços de cuidados de saúde primários.
• Reforçar a cobertura e a qualidade dos serviços e programas.
• Melhorar a gestão da saúde pública.