Sudão do Sul: 80 mil refugiados Sudaneses precisam de Assistência Humanitária Urgente

Dezenas de milhares de refugiados sudaneses no Sudão do Sul precisam que  a ajuda humanitária seja ampliada com  urgência, uma vez que a estação de chuvas se aproxima. Desde novembro do ano passado, 80 mil pessoas fugiram do estado do Nilo Azul, no Sudão, à procura de abrigo em dois acampamentos localizados em uma região árida e remota do Sudão do Sul, onde as organizações humanitárias enfrentam grandes desafios logísticos para chegar até os refugiados e levar assistência a eles. Os refugiados recém-chegados contam que os conflitos e os bombardeios são constantes no estado do Nilo Azul. Eles vieram aos acampamentos de Doro e Jamam em busca de um lugar mais seguro para se estabelecer, mas acabaram encontrando um ambiente com condições tão adversas que a sua própria subsistência está por um fio.“Estes refugiados dependem quase exclusivamente de ajuda humanitária porque água e de alimentos são escassos na região“O número de refugiados que chegam aos acampamentos ultrapassou todas as nossas expectativas, e, neste local tão remoto, oferecer o essencial é um enorme desafio, que ficará ainda maior com a chegada da estação das chuvas.”Quando as chuvas começarem, no fim de abril, a região ficará cada vez mais inacessível, e muito provavelmente se tornará um enorme pântano com pequenas “ilhas”. As organizações que estão oferecendo assistência nos acampamentos precisam fazer um esforço emergencial ainda maior nas próximas semanas, para garantir que os refugiados possam sobreviver nos próximos meses.No momento, nem mesmo algumas das necessidades mais básicas dos refugiados estão sendo supridas de forma adequada, devido a lacunas na oferta de ajuda humanitária.

Menos de oito litros de água potável estão sendo oferecidos para cada pessoa diariamente, um número muito abaixo do recomendado para acampamentos de refugiados, que é de 15 a 20 litros por dia. Em clínicas locais vêem-se  as consequências diretas da falta de água no local, como um número cada vez maior de pacientes com diarreia – atualmente, essas pessoas representam 25% de todas as consultas realizadas nos campos. Água, alimentos, utensílios domésticos e outros artigos essenciais precisam ser disponibilizados urgentemente, para proteger a saúde e garantir a sobrevivência dos refugiados.

PCI está a tento à situação de emergência no país, caso se verifique a necessidade irá enviar uma equipa de ajuda humanitária para o país composta por 8 voluntários.

Fonte: UNHCR