Situações de Excepção

Resposta a Catástrofes, Acidentes e Crises

A ajuda humanitária em situações de grande emergência, como catástrofes naturais, epidémicas ou tecnológicas, conflitos armados e outras situações de violência, é a concretização mais imediata do mandato humanitário

Assim, nos Paramédicos de Catástrofe Internacional – PCI  trabalhamos para proteger a vida e a saúde das pessoas afectadas por estas situações, garantindo a cobertura das suas necessidades básicas vitais, assim como o restabelecimento dos serviços essenciais e a restauração dos meios de subsistência.

Verifica-se uma ausência de definição e de enquadramento legislativo relativo a este conceito, encontrando-se apenas estipulado/definido os conceitos de acidente grave e de catástrofe. Apesar de não ser frequente, em território nacional, a declaração de acidente grave ou catástrofe, é frequente a existência de situações de exceção. Uma situação de exceção, no contexto de prestação de cuidados de emergência médica consiste fundamentalmente numa situação em que se verifica, de forma pontual ou sustentada, um desequilíbrio entre as necessidades verificadas e os recursos disponíveis. É, por sua vez, esta desigualdade que vai condicionar a atuação das equipas de emergência médica, nomeadamente, através de uma criteriosa coordenação e gestão dos recursos humanos e técnicos disponíveis, bem como de toda a informação disponível, em cada momento. Como exemplo de Situações de Exceção há acidentes com elevado número de vítimas, incêndios florestais, incêndios urbanos/industriais e intoxicações, sendo também habitual embora, normalmente, sem grande número de vítimas, fenómenos naturais como aluviões, cheias e/ou inundações, ondas de calor e vagas de frio

Nesta medida, estamos prontos a actuar a nível nacional, em articulação com os organismos nacionais e internacionais  e outras entidades competentes, e também a nível internacional, com as seguintes valências:

      – Apoio à sobrevivência com prestação de socorro, abrigo temporário, água potável, condições adequadas de saneamento, ajuda alimentar, cuidados básicos de saúde e apoio psicológico;

     – Apoio logístico através do armazenamento e gestão de stocks, recepção e encaminhamento de dádivas, transportes, entre outros;

     – Apoio psicossocial;

     – Apoio à pesquisa e localização de familiares separados;

     – Apoio médico;

     – Comunicações de emergência, assegurando uma ligação permanente, fiável e de qualidade, entre a coordenação nacional e as estruturas locais;

     – Apoio à mortuária;

     – Salvamento em grande ângulo;

     – Salvamento em meio aquático.

São consideradas situações de emergência aquelas que ameaçam a vida, colocando as pessoas em perigo de morte ou de grave deterioração da sua saúde ou das suas condições de vida, e que podem ultrapassar a capacidade normal dos indivíduos, das famílias, das comunidades e dos sistemas de apoio do Estado para enfrentá-las.

Riscos naturais

     – Sismos

     – Tsunamis

     – Actividade vulcânica

     – Alterações climáticas

     – Ondas de Calor

     – Vagas de Frio

     – Precipitação intensa

     – Secas e desertificação

     – Subida do nível das águas do mar

     – Cheias

    -Tempestades

     – Deslizamento de terras

     – Pandemias

Riscos tecnológicos e sociais

     – Acidentes bacteriológicos, químicos e industriais

     – Acidentes nucleares

     – Acidentes ferroviários, rodoviários, aéreos e marítimos graves

     – Acções terroristas

Prevenção e Preparação para Catástrofes

Terramotos, tempestades, pandemias, terrorismo, cheias, grandes incêndios, acidentes tecnológicos .Estas catástrofes e desastres podem ocorrer a qualquer momento, quando menos esperamos, afectando uma pequena comunidade ou até um país inteiro.

As suas consequências são sempre devastadoras, deixando as pessoas traumatizadas pela morte de familiares e amigos, e com a vida destruída pela perda das suas casas, bens e fontes de rendimento.

No futuro, as previsões anunciam que os desastres vão ser ainda mais frequentes e os seus efeitos mais intensos, devido a décadas de alterações climáticas e ao aumento das vulnerabilidades, como a pobreza, densidade populacional nos centros urbanos, desigualdades sociais, falta de educação cívica e guerras.

No entanto, quando o número de pessoas afectadas é grande, os recursos podem não ser suficientes e a ajuda pode mesmo não chegar, ficando muitas vidas por salvar…

Perante este cenário, Paramédicos de catástrofe Internacional -PCI tem vindo a apostar nas actividades de prevenção e preparação para catástrofes, com vista a tentar evitar ou minimizar os seus efeitos através de uma acção rápida e eficaz.

Para este efeito, trabalhamos nas seguintes valências:

Fundo de Emergência Humanitária , é uma reserva de recursos financeiros sem afectação especial para aplicação imediata em casos de emergência e que se repõe posteriormente com os apelos para donativos.

     – Formação especializada de equipas de voluntários da UOE , capacitando-os com ferramentas que lhes permitam agir sempre e quando necessário num rapido curto de tempo.

     – Acções de sensibilização junto das pessoas e comunidades a respeito dos riscos que enfrentam, ajudando-as a reduzir a sua vulnerabilidade e a prepará-las para fazer frente a eventuais catástrofes ou situações de emergência críticas

     – Formação e capacitação dos Voluntários: Formação em emergências medicas, formação em medicina humanitária internacional, direito internacional humanitário entre outras formações  relacionadas com a ajuda humanitária internacional .