“Sensibilização de trabalho de rua”

 

Conhece pessoas que pensam como você.

Paramédicos de Catástrofe Internacional –PCI é uma organização independente que não aceita pressão política, económica ou militar. Porque nossas receitas dependem basicamente contribuições regulares dos parceiros, podemos ajudar as vítimas enquanto não notícias e reagir mais rapidamente em caso de emergência. Portanto, os esforços de recrutamento de sócios são vitais para que PCI leve ajuda a quem mais necessita tanto a nível nacional como Internacional.

Equipas de trabalho directos de diálogo nas ruas com as populações serve para motivar as pessoas a colaborar como parceiros, sócios e voluntários nas actividades realizadas pelos Paramédicos de Catástrofe Internacional –PCI, através de:

Consciencialização: sensibilização da organização, seus valores e o trabalho que está sendo feito no terreno tanto a nível nacional como internacional.

Diálogo: responder directamente às dúvidas e perguntas que colocam nossos parceiros.

O convite para participar: falar em profundidade sobre o papel importante que os parceiros têm na organização de Paramédicos de catástrofe Internacional –PCI , como garantia de independência económica e legitimidade social e humanitária.

Os membros da equipe estão directa de diálogo imagem na rua. Então, sempre perfeitamente identificados ou uniformizados, estão preparados para o seu trabalho e receber formação sobre SMA.

Como se pode juntar à esta equipe do diálogo directo dos PCI.

Para fazer parte dessa equipe preciso de você para ser um responsável, comprometido com fins sociais, dinâmica, flexível e possuir habilidades de comunicação e humanitário.

Graças a esse trabalho de rua tem crescido a divulgação da Instituição PCI e o aumento de associados que confiam no trabalho humanitário dos Paramédicos de Catástrofe Internacional – PCI .

” Sendo um Sócio activo nos permite a combater realidades geograficamente distantes e isoladas, com a sua ajuda levamos humanismo e solidariedade demonstrando soluções para aliviar o sofrimento humano a quem de nos necessita. ”