Guerra Civil no Iêmen – Necessidade de Cuidados de Saúde

Desde que os protestos começaram no Iêmen, em Janeiro, a organização internacional médico-humanitária dos Paramédicos de Catástrofe Internacional (PCI) está atenta  à situação no país. Em Sana’a, Aden, Ta’ezz, Al Hudeidah e Hajjah, as equipas dos PCI mantêm contacto com autoridades iemenitas e com comités médicos montados pelos manifestantes locais.

Norte do país – A onda de protestos continua a afectar seriamente o acesso às instalações médicas no norte do país. Ainda que a guerra entre o governo e o grupo Houthi tenha oficialmente acabado há mais de um ano, a violência surge regularmente em áreas no norte do país e isso tem um impacto duplo na população: por um lado, reduz o acesso das pessoas aos cuidados de saúde porque que as estradas estão interrompidas e o processo de reabilitação do sistema de saúde nesse país fica mais lento; por outro, milhares de deslocados não podem ou não querem voltar para as suas aldeias, com medo da violência ou de vingança”.

PCI reafirma o seu compromisso com o povo do Iêmen, e sua intenção de oferecer assistência médica no país, baseado-se exclusivamente na sua avaliação imparcial das necessidades médicas humanitárias.

PCI encontra-se atenta ao evoluir das necessidades e dos acontecimentos no pais, caso seja necessário o envio de uma equipa médica, será enviada uma equipa composta por 4 elementos para a referida prestação de cuidados no pais.