“Ajuda Humanitária cólera no Haiti”

A organização humanitária Paramédicos de Catástrofe Internacional diz que existe falhas na implementação de medidas de prevenção da cólera. e
Apesar da enorme presença de organizações internacionais no Haiti a resposta à cólera até agora tem sido insuficiente para atender às necessidades da população. De acordo com as autoridades nacionais a epidemia já causou mais de 2.100 mortes e infectou pelo menos 30 mil pessoas em todo o país.
“A cólera é uma doença facilmente evitável” afirmou Bruno Reis Presidente da ONGD “Pode ser uma novidade para o Haiti, mas as formas de prevenir e tratar a doenças estão estabelecidas há muito tempo. Sem um aumento imediato da ajuda de organizações internacionais e do governo do Haiti nós não será possível conter este surto.”
A situação é particularmente crítica no norte do país, onde a epidemia se espalhou nas últimas duas semanas. Equipas estão a coordenar Centros de Tratamento de Cólera (CTCs) nas cidades de Cap Haitien e Port-de Paix.
“O que temos visto é apenas a ponta do iceberg, pois sabemos que existem pessoas a morrer de cólera nas comunidades rurais. O nosso objectivo é oferecer melhor acesso a cuidados médicos para as populações mais remota mas também garantir que as pessoas doentes possam hidratar-se no caminho até as primeiras unidades de saúde.”

Na capital Porto Príncipe, o número de casos de cólera continua alto o número de admissões nas 13 unidades de tratamento está a estabilizar no total 14 mil pessoas foram tratadas incluindo 1,8 mil na semana passada na capital haitiana. Em Artibonite onde o surto começou oito semanas atrás o número de pacientes de cólera está a declinar.

Mais de 4 mil profissionais haitianos estão trabalhando junto com expatriados de todas as ONGs  no terreno  em resposta à epidemia de cólera no Haiti.