Cheias no Brasil

Brasil

 

A chuva forte que tem caído nas últimas semanas nos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo, no Sudeste do Brasil já provocou a morte de 41 pessoas. Há cidades isoladas, estradas cortadas e habitações destruídas, mais de 60 mil pessoas foram obrigadas a abandonar as sua casas. Nesta sexta-feira, o mau tempo deverá dar tréguas em alguns municípios. Segundo a imprensa brasileira, os maiores estragos são visíveis no leste de Minas Gerais e no Noroeste do Espírito Santo. Neste estado, 52 dos 78 municípios foram afectados pelas tempestades, que provocaram 23 mortos, de acordo com a Defesa Civil que chegou a avançar com 27 mortos, número entretanto corrigido após a identificação de vítimas resgatadas com vida.

Há mais de 60 mil desalojados e muitas cidades estão isoladas, com estradas cortadas. “O levantamento das pessoas afectadas continua prejudicado pela dificuldade de acesso a muitas localidades, algumas totalmente isoladas pela intensa inundação, sem comunicação, água potável e energia eléctrica”, refere uma nota da Defesa Civil, citada pelo Jornal do Brasil. Algumas pessoas foram resgatadas a partir dos telhados das casas. O governador decretou estado de emergência e o Exército do Rio de Janeiro enviou 170 militares para ajudar no resgate dos habitantes de áreas mais críticas.

Segundo o Incaper, o instituto que faz a previsão do tempo naquela região, esta é a “a maior chuva desde que começaram as medições meteorológicas no Estado, há 90 anos”. Os estragos causados pelo temporal nas últimas semanas já são considerados maiores do que os registados na enchente de 1979, quando morreram 74 pessoas. O Incaper explica que o fenómeno resulta de “um canal de humidade associado à presença de Zonas de Convergência do Atlântico Sul que vem mantendo o tempo encoberto em todo o Estado”.De acordo com o jornal Folha de São Paulo, o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) estima uma redução da pluviosidade nesta sexta-feira na região do rio Doce, que corta os dois estados. No entanto, a chuva deverá cair com intensidade elevada na região do Triângulo Mineiro, no Centro e no Oeste de Minas autoridades brasileiras contabilizam 38 mortos devido à chuva forte que tem assolado os estados de Espírito Santo e Minas Gerais, no Sudeste do país. Quase 50 mil pessoas tiveram de abandonar as suas casas devido às cheias e as previsões apontam para mais chuva nos próximos dias.

O boletim mais recente da Defesa Civil, emitido nesta quarta-feira, dá conta de 21 vítimas mortais, incluindo crianças, só no estado do Espírito Santo, onde 50 dos 78 municípios do Estado foram atingidos pelo temporal. A maioria das mortes foram consequência de deslizamento de terras, segundo o governador Renato Casa-grande, que decretou já o estado de emergência. Desde o início de Dezembro, mais de 48 mil pessoas foram forçadas a deixar as suas habitações devido às inundações e à subida do caudal dos rios. Destas, cerca de 4500 pessoas tiveram de procurar abrigos públicos, as restantes ficaram alojadas em casa de amigos e familiares. A cidade mais afectada é Itaguaçu, onde morreram oito pessoas, segundo o jornal brasileiro Folha de São Paulo. Colatina é o segundo município mais afectado, com seis mortos. Em Minas Gerais morreram já 17 pessoas. Nesta quarta-feira foi encontrado o corpo de um menino de sete anos, desaparecido desde 17 de Dezembro em Sardoá, na região leste de Minas Gerais. A criança ficou soterrada após o deslizamento de uma encosta sobre a casa onde vivia com a família de cinco pessoas. Ninguém sobreviveu.