Dengue

A dengue é uma febre viral transmitida pelo mosquito aedes aegypti. Em sua forma mais branda, a doença afecta cerca de 50 milhões de pessoas a cada ano. A forma mais grave da enfermidade pode ser mortal, e soma 1% dos casos no mundo.

A dengue simples se assemelha a uma síndrome gripal com febre elevada, causa fortes dores de cabeça e musculares, acompanhadas de erupção cutânea. Apesar de gerar um grande desconforto no paciente, a dengue simples é considerada uma patologia branda.

A dengue hemorrágica, no entanto, pode ser mortal. Ela se manifesta pelo aumento do volume do fígado (hepatomegalia), por variações fortes de humor (irritabilidade, cansaço e letargia) e por hemorragias pelo corpo (microssangramentos cutâneos, na gengiva, no intestino e no cérebro). Sem um tratamento intensivo, a dengue hemorrágica causa uma morte em cada cinco casos. Os óbitos são mais frequentes entre bebés de colo e crianças pequenas.

Uma infecção curada de dengue confere ao paciente imunidade contra o tipo de vírus responsável. Porém, existem quatro tipos diferentes de vírus, e para estar totalmente imunizado é necessário ter tido contacto com todos eles. No caso contrário, a cada contágio com um novo tipo os sintomas são mais intensos e o risco de desenvolver dengue hemorrágica é mais alto.

Não há tratamento preventivo – não existe vacina – nem tratamento curativo específico para a dengue. Os cuidados terapêuticos consistem em tratar os sintomas:

Na dengue comum, combate-se a febre.

Para a forma hemorrágica, é necessária a hidratação constante via oral e, se necessário, por via intravenosa.

Atendimento rápido e tratamento intensivo podem reduzir o número de óbitos a 1% dos casos.

A dengue é uma doença endémica em mais de 100 (cem) países da África, Américas, Mediterrâneo Oriental, Sudeste Asiático e Pacífico Ocidental. Desde o fim do século passado, as epidemias tornaram-se comuns nas regiões tropicais, crescendo bastante em zonas urbanas.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima em 50 milhões os casos de dengue a cada ano, sendo 50 mil de dengue hemorrágica. A doença causa 22 mil mortes, especialmente entre crianças.

O mosquito é o único vector da enfermidade. A única forma de prevenção individual contra a proliferação consiste em utilizar mosquiteiros e repelente.

De forma colectiva, o combate aos vectores inclui a destruição dos focos larvas e a pulverização de insecticidas.